Pontal do Paraná

Ação rápida do Batalhão de Operações Aéreas da PM salva vítima de AVC

Ultima Atualização: 05.01.2020 às 18:39:42

Uma mulher de 77 anos, vítima de acidente vascular cerebral (AVC), foi salva graças a rápida mobilização da tripulação do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) na remoção da idosa, na manhã deste domingo, 5. Em apenas quatro minutos a aeronave levou a mulher de Praia de Leste, em Pontal do Paraná, para o Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá.

De acordo com as informações da Agência Estadual de Notícias, a equipe de serviço do BPMOA foi acionada pela UPA, por se tratar de um grave quadro clínico, que necessitava de transferência urgente para o Hospital Regional. “Quando estávamos quase chegando para atender a ocorrência, fomos informados de que a paciente havia tido uma nova parada cardiorrespiratória, pousamos e, rapidamente, o médico da aeronave desceu e fez a estabilização da vítima para que ela pudesse ser levada ao hospital com tranquilidade”, contou o copiloto da aeronave, capitão Alexandre Creplive Zem.

Após a estabilização, a vítima foi embarcada no helicóptero e levada ao Hospital Regional de Paranaguá. O deslocamento, segundo o capitão Zem, levou aproximadamente quatro minutos, o que fez a diferença para que a mulher chegasse com vida na unidade hospitalar. “Se não tivéssemos chegado a tempo para fazer essa remoção ela poderia ter falecido”, disse.

Durante o Verão Maior 2019/2020, o BPMOA estabeleceu uma base na cidade de Matinhos, ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Praia Grande, para dar suporte à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros em ocorrências graves, principalmente aquelas em que a agilidade do transporte aéreo pode ser decisiva para a sobrevivência.

Resgates no mar, em acidentes de trânsito e resgates em montanha são algumas das atividades desempenhadas pelos integrantes da unidade. “A localização da base facilita o deslocamento para qualquer área do Litoral do Paraná rapidamente”, afirmou o comandante da aeronave, major Adilar Marcelo de Lima.

Comentários